• Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

Panna cotta com geleia de buriti

02/02/2016

 

Uma das vantagens de gostar de cozinha é que quando os amigos viajam, inevitavelmente se lembram de você ao serem surpreendidos com um ingrediente diferente, um sabor pitoresco, um prato exótico... Pois bem, dia desses, um amigo me trouxe uma pasta de buriti da Bahia.

Nunca tinha comido nada com a fruta. Não tinha nenhuma referência – cheiro, sabor, textura, nada, nadinha. A princípio, me vieram muitas coisas na cabeça, até provar a pasta pela primeira vez – batida com leite e açúcar no liquidificador. A textura é a de uma vitamina de abacate, a cor de um amarelo bem vivo, um cheiro ácido e o gosto, bem o gosto, definitivamente não se parece com nada que tenha comido até hoje. Mas, achei bom.
Assim, como uma vitamina, (jeito como a família do amigo costuma consumir a pasta) já deu pra perceber que não daria pra usá-la nem em metade das receitas que havia imaginado. A fruta é forte e para evitar qualquer tipo de problema com os comensais, achei prudente usá-la de forma moderada em sobremesas, como um toque mesmo.

Das duas ideias que tinha na cabeça, uma delas deu muito errado, que foi um bolo. Além de não ficar na consistência que imaginava, depois que tirei ele do forno, murchou em questão de pouquíssimos minutos, formando um enorme buraco no centro. O horror!
Sobre o sabor, bem... a minha sensação é de que estava comendo a pasta de buriti doce assada. O resultado – lixo.

Determinada a não mais perder ingredientes, nem desperdiçar assim o presente, parti para outra receita – uma panna cotta com geleia de buriti, sugestão do querido Isa. Ah, essa sim, pagou com dignidade a viagem da Bahia a São Paulo. Ficou delícia, gente!
Eu sei que o buriti não é um ingrediente nada comum. Mas se tiverem a oportunidade de comprar ou pedir para que alguém traga pra você, faça isso. Ou use sua imaginação para usar algo que não conheça em receitas que domina.

A cozinha, minha gente, nada mais é do que um laboratório – química pura. Pode soar frio falar dessa maneira, mas não quando se trata de alimento. A transformação por que passa cada um dos ingredientes ao se unirem a outros é de um encantamento sem igual.

Aqui, por exemplo, o encontro da italiana panna cotta com o brasileiro buriti deu liga.  ;)

 

Ingredientes

(rendimento: quatro porções)

 

Panna cotta

100 ml de leite

400 ml de creme de leite fresco

Fava de baunilha (eu usei raspas da tonka, a baunilha do Cerrado)

6g. de gelatina sem sabor

80g. de açúcar

 

Geleia de buriti

50g. de pasta de buriti

1 xícara de chá de água

4 colheres de sopa de açúcar

 

Modo de fazer

 

Em uma panela, misture o leite, o creme de leite, o açúcar e a baunilha e leve ao fogo baixo mexendo sempre até começar a levantar fervura. Reserve.

Enquanto isso, hidrate a gelatina conforme a recomendação do fabricante e quando a mistura da panela estiver pronta, coloque um pouco dela à gelatina, incorporando bem. Na sequência, volte tudo à panela e mexa novamente.

Em recipientes individuais lavados, mas não secos, distribua igualmente a mistura entre eles e leve à geladeira por no mínimo quatro horas.

Enquanto a panna cotta adquire consistência, faça a geleia. Em uma panela, coloque todos os ingredientes e leve ao fogo baixo, mexendo de vez em quando.

O ponto certo da geleia será quando você começar a misturar e começar a enxergar o fundo da panela, como no brigadeiro (embora a consistência seja bem diferente). Desligue e deixe esfriar.

Passadas as quatro horas de geladeira, a panna cotta estará pronta e você poderá colocar a geleia de buriti encima. O azedinho do buriti com a doçura e a leveza da panna cotta formam uma combinação bastante interessante. Experimente!

 

 

 

 

 

Please reload

Recentes

29/09/2019

15/09/2019

18/08/2019

02/06/2019

Please reload